1º Congresso Ibero-Americano de Peptídeos Bioativos

Palestrantes confirmados

Palestrante Título preliminar Filiação

Dra. Elvira Gonzalez de Mejia

Produção enzimática, bioatividade e amargor de peptídeos de grão-de-bico (Cicer arietinum)

Universidade de Illinois Urbana-Champaign – Estados Unidos

Dra. Fabiana Galland

Mecanismos de ação e passagem de peptídeos bioativos alimentares pela barreira hematoencefálica

CCQA/ITAL/Campinas/Brasil

Dra. Fernanda Drummond

Complexo proteína-fenólico: desafios no estudo de hidrolisados proteicos de origem vegetal

UFOP/Ouro Preto/Brasil

Dr. José Roberto de S. Almeida Leite / Dra. Alexandra Plácido

Bioprospecção de peptídeos para aplicações de neuroproteção

UNB/Brasília/Brasil / Faculdade de Ciências, Universidade do Porto (UP) – Porto, Portugal

Dr. Leandro Xavier Neves

Proteômica e peptidômica como ferramentas para a identificação de peptídeos bioativos

LNBio/CNPEM/
Campinas/Brasil

Dr. Luiz Juliano

Mecanismo da analgesia pela bromelina do abacaxi por ingestão oral

UNIFESP/São Paulo/Brasil

Dra. Luciana Malavolta Quaglio Peptídeos radiomarcados como base molecular para diagnóstico e/ou tratamento de doenças tumorigênicas e do sistema nervoso central FCM Santa Casa de São Paulo/São Paulo/Brasil

Dra. Lourdes Amigo

Tendências em peptídeos bioativos anti-hipertensivos derivados de proteínas alimentares

CIAL/Madri/Espanha

Dra. Manuela Pintado

Subprodutos agroalimentares como fonte valiosa de peptídeos bioativos

UCP/Porto/Portugal

Dra. Maira Rubi Segura Campos Biopeptídeos como uma alternativa terapêutica para doenças crônicas: Caso da Salvia hispanica. Universidade Autônoma de Yucatán (UADY)/Mérida/ México
Dra. Marcela Albuquerque Peptídeos bioativos produzidos por microrganismos de interesse para alimentos USP/São Paulo/Brasil

Dra. María Cristina Añón

Bioinformática: uma importante ferramenta no estudo de peptídeos bioativos

UNLP/La Plata/Argentina

Dra. Maria Elisa Caetano

Peptídeos quelantes e sua performance na absorção de minerais

CCQA/ITAL/Campinas/Brasil

Dra. Maria Teresa Machini

Química de Peptídeos: uma ferramenta indispensável na obtenção e estudo de peptídeos bioativos

USP/São Paulo/Brasil

Dra. Rita de Cássia Queiroga

Potencial de produtos de leite caprino como fonte de peptídeos bioativos

UFPB/João Pessoa/Brasil

 

Dra. Alexandra Plácido

Investigadora de Pós-doutoramento do Laboratório Associado para a Química Verde (LAQV/REQUIMTE), investigadora colaboradora do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde (i3S) da Universidade do Porto, Portugal e CEO da empresa Bioprospectum. Tem experiência em biossensores, bionanotecnologia, biologia molecular, cultura de células e prospeção de moléculas naturais. Atualmente, o seu principal interesse consiste na bioprospecção de peptídeos com atividades antimicrobiana, antioxidante, anti-inflamatória e neuroprotetora para aplicações na área da saúde.

Dra. Fernanda Drummond

Professora no Departamento de Alimentos da Faculdade de Nutrição da Universidade Federal de Ouro Preto - (UFOP), Ouro Preto/MG, Brasil. Dra. Drummond tem trabalhado com peptídeos bioativos e fenólicos de origem vegetal, com foco nas interações entre eles. Tem experiência com modelos animais no estudo da capacidade antioxidante de hidrolisados proteicos e compostos fenólicos da linhaça (Linum usitatissimum L.) e seus efeitos modulatórios na colite experimental.

Dr. José Roberto Leite

Professor na Faculdade de Medicina, Universidade de Brasília (UnB), no Distrito Federal, Brasil, e Pesquisador Visitante na Universidade do Porto (Instituto de Investigação e Inovação em Saúde, i3S). Tem experiência e desenvolve pesquisas nas áreas de Biotecnologia, Bionanotecnologia, e Bioprospecção de biomoléculas para aplicações em saúde e meio ambiente. Atualmente, trabalha com o potencial de peptídeos bioativos e outros produtos naturais com atividade biológica visando aplicações antimicrobianas, cardiovasculares e neurológicas.

Dra. Maira Rubi Segura Campos

Professora titular da Faculdade de Engenharia de Química da Universidade Autônoma de Yucatán (UADY), México. Presidente do Comitê Peninsular da Sociedade Mexicana de Inocuidade e Qualidade para Consumidores de Alimentos (SOMEICCA) e membro do conselho diretor da Rede Internacional Chia-link e Rede IA-Valse Food. Dra. Campos estuda propriedades funcionais e biológicas de peptídeos em alimentos que podem ser adicionados como ingredientes para o desenvolvimento de alimentos funcionais. Estudos recentes realizados pelo seu grupo de pesquisa avaliaram diferentes bioatividades de hidrolisados proteicos de chia (Salvia hispanica L.) e feijão-de-corda (Vigna unguiculata). Ela é especialista em geração, desenvolvimento e caracterização de alimentos funcionais para redução de risco de algumas doenças, tais como, hipertensão, diabetes, inflamação, câncer e outras.

Dra. Maria Elisa Caetano

Pesquisadora de Pós-doutorado em Bioquímica no Centro de Ciência e Qualidade de Alimentos do Instituto de Tecnologia de Alimentos (CCQA / ITAL), Campinas/SP, Brasil. Bacharel em Ciência dos Alimentos (Universidade de São Paulo) e Doutora em Alimentos e Nutrição pela Faculdade de Engenharia de Alimentos da UNICAMP (com parte da pesquisa realizada na Universidade de Valência, Espanha). Dra. Caetano tem experiência com peptídeos ligantes de ferro, digestão in vitro e biodisponibilidade. Atua na área de Ciência dos Alimentos, com ênfase em bioquímica nutricional, química de proteínas e peptídeos..

Dra. Rita de Cássia Queiroga

Professora Associada do Departamento de Nutrição da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), João Pessoa/PB, Brasil. Dra. Queiroga tem experiência em Ciência e Tecnologia de Alimentos, trabalhando principalmente na pesquisa de produtos lácteos, com foco no leite de pequenos ruminantes, como burras, cabras e ovelhas. Tem trabalhado com o desenvolvimento de produtos lácteos funcionais, avaliação da estabilidade de probióticos em matrizes de alimentos, composição química, controle de qualidade, segurança alimentar e nutricional e compostos bioativos.

Dra. Elvira de Mejia

Professora na Divisão de Ciências Nutritionais da Universidade de Illinois em Urbana-Champaign / EUA. Dra. de Mejia investiga peptídeos bioativos e proteínas em alimentos que promovem benefícios à saúde pela redução da inflamação, marcadores de diabetes tipo 2, câncer e risco de doença cardiovascular. Ela é especialista em identificar e caracterizar as propriedades funcionais de componentes alimentares, flavonóides notáveis em chás étnicos, ervas e frutos silvestres. Dra. de Mejia é líder mundial em benefícios para a saúde de compostos bioativos em plantas, e tem se engajado na redução de doenças e na promoção da saúde e bem-estar como uma prioridade global.

Dr. Leandro Xavier Neves

Pesquisador de Pós-doutorado no Laboratório Nacional de Biociências (LNBio), Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), Campinas/SP, Brasil. Bacharel in Nutrição, Mestre e Doutor em Biotecnologia pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). Dr. Neves possui experiência no desenvolvimento e aplicação de métodos quantitativos usando espectrometria de massas para análises proteômicas em larga escala e baseada em alvos. Seu projeto de pesquisa atual tem como foco a caracterização de vesículas extracelulares por abordagens peptidômica e proteômica para proposição de marcadores prognóstico de câncer oral, peptídeos bioativos e o papel de modificações pós-traducionais (PTM) no câncer.

Dr. Luiz Juliano

Professor titular no Departamento de Biofísica da Escola Paulista de Medicina São Paulo, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Atualmente, desenvolve atividades de pesquisa e ensino no AC Camargo Cancer Center, com ênfase nas relações interinstitucionais e novos desenvolvimentos. Possui expertise na área de Bioquímica, com ênfase em Proteínas, atuando principalmente nos temas peptídeos e proteases. Pesquisas recentes realizadas por seu grupo possibilitaram desvendar o mecanismo do efeito analgésico da bromelina do abacaxi, relacionado à liberação de encefalina, peptídeo normalmente produzido no cérebro e que tem efeito semelhante ao da morfina. A descoberta abre perspectivas para o estudo da interação entre o conteúdo enzimático do bolo alimentar (e da microflora intestinal) com a parede do intestino na liberação de substâncias bioativas.

Dra. Lourdes Amigo

Pesquisadora Científica no Instituto de Investigación en Ciencias de la Alimentación (CIAL, CSIC-UAM), Madri, Espanha. Seus principais interesses de pesquisa são estudar peptídeos com várias atividades biológicas e sua atividade e efeito fisiológico quando incorporados a produtos funcionais. Outras atividades de pesquisa incluem o melhoramento de proteínas por hidrólise enzimática e fermentação para obter produtos com propriedades funcionais e biológicas melhoradas; desenvolvimento de métodos rentáveis para produzir ingredientes funcionais. Também está envolvida no estudo da digestão gastrointestinal de alimentos usando métodos in vitro.

Dra. Marcela Albuquerque

Pesquisadora de Pós-doutorado no Departamento de Alimentos e Nutrição Experimental da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (FCF-USP), São Paulo/SP, Brasil. Bacharel em Ciências Biológicas (Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro/RJ, Brasil), Mestre em Ciência de Alimentos (Instituto de Química, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro/RJ, Brasil) e Doutora pelo Programa de Pós-Graduação em Tecnologia Bioquímico-Farmacêutica da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP, na área de Tecnologia de Alimentos (com parte da pesquisa realizada no CERELA - Centro de Referencia para Lactobacilos, Tucumán, Argentina). Tem experiência em produção de vitaminas do grupo B por bactérias láticas e probióticos para o desenvolvimento de alimentos fermentados bioenriquecidos. Atualmente sua pesquisa aborda o uso de bactérias láticas proteolíticas e potencialmente probióticas como alternativa para reduzir a resposta imunogênica do glúten. Atua na área de Ciência e Tecnologia dos Alimentos, com ênfase em bactérias láticas proteolíticas, probióticos, alimentos fermentados e produção de vitaminas do grupo B por bactérias láticas.

Dra. Maria Teresa Machini

Professora Associada III do Departamento de Bioquímica (DBQ) do Instituto de Química (IQ) da USP, São Paulo. Bacharelou-se em Química pela FFCLRP-USP, fez Mestrado e Doutorado em Bioquímica no IQ-USP, fez pós-doutorado na UNIFESP-São Paulo e no The Salk Institute for Biological Research, San Diego, CA/USA, fez Livre-Docência no DBQ-IQUSP. A sua área de atuação é a Química, Estrutura e Função de Peptídeos e Proteínas. Coordena o Laboratório de Química de Peptídeos, onde se dedica: ao estudo de diferentes aspectos da química dos peptídeos, com ênfase em síntese química e enzimática em temperaturas elevadas; à investigação de diferentes estratégias que possam ser usadas no combate dos microorganismos patogênicos resistentes aos antibióticos. Assim, emprega os conhecimentos gerados na química de peptídeos para estudar e desenvolver novos agentes peptídicos microbicidas que incluem: antimicrobianos naturais, fragmentos de proteínas de venenos e leite, bioquelantes de metais, inibidores enzimáticos relacionados aos sistemas

Dra. Fabiana Galland

Pesquisadora do Centro de Ciência e Qualidade de Alimentos do Instituto de Tecnologia de Alimentos (CCQA/ITAL), Campinas/SP, Brasil. Dra. Galland tem experiência na área de neuroquímica, biologia celular, modelos inflamatórios e de neuroproteção sobre sistemas in vitro e em doenças crônicas degenerativas. Seu principal interesse atual é obtenção, caracterização e avaliação dos mecanismos de ação de peptídeos bioativos derivados de proteínas do soro do leite com capacidade anti-inflamatória em células gliais.

Dra. Luciana Malavolta Quaglio

Professora adjunta da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e colaboradora do Instituto Israelita de Pesquisa Albert Einstein. Doutora em Ciências pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), com pós-Doutorado na mesma Universidade. Dra. Malavolta possui expertise em Química de macromoléculas, atuando principalmente nos seguintes temas: peptídeos radiomarcados com relevância fisiológica, desenvolvimento de biomarcadores do tipo peptídeos com relevância na medicina e aspectos físico-químicos da agregação de peptídeos relacionados à formação de fibrilas amiloidais.

Dra. Manuela Pintado

Professora da Faculdade de Biotecnologia da Universidade Católica Portuguesa (ESB-UCP) e Diretora do Centro de Química Fina e Biotecnologia do Porto, Portugal. Foi membro do Grupo de Pesquisa e Internacionalização da UCP, onde estabeleceu forte interação com a indústria. Dra. Pintado desenvolveu uma plataforma para caracterização e otimização das propriedades funcionais dos ingredientes bioativos. Sua pesquisa inclui o desenvolvimento, caracterização e validação da bioatividade de componentes funcionais, como biopeptídeos com atividades antioxidantes, probióticas, prebióticas e antimicrobianas. Além disso, ao longo de sua trajetória, estabeleceu uma vasta rede de parcerias em projetos internacionais.

Dra. María Cristina Añón

Pesquisadora Sênior do CONICET (Consejo Nacional de Investigaciones Científicas y Técnicas), Argentina. Professora emérita de Bromatologia na Faculdade de Ciências Exatas da Universidade Nacional de La Plata (UNLP), La Plata, Argentina. Dra. Añón trabalha com a atividade biológica de peptídeos oriundos de moléculas alimentares pela ação de proteases exógenas, processos fermentativos ou enzimas digestivas. Seu objetivo é avaliar as atividades de peptídeos derivados de amaranto, soja ou outras fontes de proteínas alimentares, utilizando ensaios in vitro, in silico, in vivo e ex vivo. Dra. Añón está envolvida na implementação de uma abordagem conjunta de bioinformática e metodologias experimentais para a identificação e caracterização de peptídeos bioativos na área de Ciência e Tecnologia de Alimentos.

Dra. Maria Teresa Bertoldo

Pesquisadora do Centro de Ciência e Tecnologia de Alimentos do Instituto de Tecnologia de Alimentos (CCQA / ITAL), Campinas/SP, Brasil. Dra. Bertoldo é membro do Grupo de Trabalho de Rotulagem de Alimentos para Fenilcetonúricos na ANVISA, do Comitê Consultivo do ILSI Brasil C3 e Editora Associada da Brazilian Journal of Food Technology. Atua na área de Ciência e Qualidade de Alimentos, com ênfase no uso de subprodutos agroalimentares, compostos à base de alimentos bioativos, hidrolisados enzimáticos e peptídeos bioativos, especialmente de proteína de soro de leite e girassol.

Governo do Estado de São Paulo