15/05/2017

PIT Alimentos realiza encontro para ajudar produtores rurais e empresas da região de Campinas

O “1º Encontro PIT Alimentos: Agregação de valor na produção e processamento de frutas e hortaliças”, realizado em Campinas, no dia 11 de maio, reuniu cerca de 150 pessoas entre produtores rurais, micro e pequenas indústrias e agroindústrias que atuam no segmento de frutas e hortaliças da região campineira. O evento foi realizado no Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo.

O  foco foi promover o setor de alimentos e bebidas, auxiliando os produtores rurais e as micro e pequenas empresas na agregação de valor aos produtos. Também visou incentivar a inovação e o uso de tecnologias, operando de forma sustentável social, econômica e ambientalmente.

A programação contemplou temas como: tendências do consumo no mercado de frutas e hortaliças, inovação e tecnologia, e ações institucionais para o segmento. “O Brasil tem uma janela gigante aberta para ser o maior provedor de alimentos do mundo. Temos que aproveitar essa chance e assumir este mercado”, declarou Luis Madi, Diretor-Geral do ITAL.

O evento foi realizado em conjunto com as instituições participantes do PIT Alimentos: Agropolo Campinas-Brasil, Desenvolve SP, Câmara Municipal de Campinas, CIESP-Campinas (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo), Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI) da Secretaria de Agricultura, FAESP-SENAR (Federação da Agricultura do Estado de São Paulo), INOVA Paula Souza, ITAL, Prefeitura Municipal de Campinas, SEBRAE-SP (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), SENAI (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) e Sindicato Rural de Campinas (SRC).

“Estamos felizes com a realização deste evento. Antigamente nosso projeto contemplava somente a cidade de Campinas e hoje atende toda região. Além disso, é importante lembrar que temos o apoio da Prefeitura de Campinas e isso nos anima. É fundamental essa união das instituições e entidades para auxiliarmos no direcionamento das empresas. Agradecemos também o apoio do nosso Secretário de Agricultura, Arnaldo Jardim, que tem dado um incentivo muito forte na parte agrícola, proporcionando para as microempresas desenvolvimento e produto de maior valor agregado”, enfatizou Madi.

Para o Secretário Arnaldo Jardim, eventos como este marcam o compromisso da Secretaria com o terceiro setor. “Nosso papel é levar os resultados da ciência e tecnologia para as indústrias e para o campo. Participamos com muita vontade de ações como o PIT Alimentos, pois é nossa missão, inclusive um pedido do nosso Governador, Geraldo Alckmin, que nossos institutos sejam as fontes de inovação para a agropecuária paulista”, apontou.

Dicas de Negócios

Para encerrar com chave de ouro, o Coordenador da Plataforma de Inovação do ITAL, Raul Amaral, deu dicas para os participantes otimizarem os negócios e aumentar as vendas. “Um maço de couve, por exemplo, custa em torno de R$ 3 – R$ 4. Agora, se o produtor opta por transformar a couve num chips, ele pode vender o produto em torno de R$ 8 – R$ 9 cada 50 gramas. E adaptar o negócio não é difícil. São pequenas mudanças que podem fazer a diferença”, destacou.

Outro mercado em potencial é transformar as frutas em pasta, ou os vegetais em bebidas líquidas. “O consumidor procura praticidade, mas também quer ingerir frutas e vegetais, há um apelo muito forte por saudabilidade. Já temos alternativas como sopas geladas, sucos de vegetais, proteínas de ervilha etc. E tudo isso vendido num preço muito acima do convencional de mercado”, acrescentou Amaral.

Outros itens levados em consideração pelo consumidor são: sensorialidade e prazer, conveniência, confiabilidade e qualidade, sustentabilidade e ética. Empresas que, por exemplo, produzem o suco e depois fazem reaproveitamento de resíduos atraem o consumidor.

Outro exemplo: o produtor vende a fruta, mas aproveita o que seria perdido para fazer compotas e geleias. “O consumidor está mais consciente, quer consumir, mas também quer contribuir para um mundo melhor, de forma geral”, finalizou Amaral.