saopaulo.sp.gov.br
Instituto de Tecnologia de Alimentos

Notícia
ITAL recebe integrantes do Fórum de Competitividade da Indústria de Carnes
Workshop realizado no Instituto abordou tecnologias para agregação de valor a produtos cárneos e promoveu encaminhamentos para gargalos

Postado em 14/09/2006 00:00:00

#O ITAL recepcionou, dia 12 de setembro, o Workshop Tecnologias para Agregação de Valor na Indústria de Carnes, uma realização do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), no âmbito do Fórum de Competitividade da Indústria de Carnes. Um dos Grupos de Trabalho do Fórum, Novos Produtos de Valor Agregado – GT-1, foi o responsável pelo evento, que contou com a presença de representantes do MDIC, pesquisadores do ITAL e da Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos (SBCTA), representantes do SEBRAE e da FINEP, integrantes de Instituição de Ensino e da indústria de carnes. O Workshop debateu, entre outros aspectos, os direcionamentos e desenvolvimentos de tecnologias de modo a atender as necessidades das cadeias produtivas das carnes. A tarefa do Fórum de Competitividade da Indústria de Carnes é desafiadora: conciliar interesses e rotinas dos diversos envolvidos em todas as etapas da cadeia produtiva da indústria de carnes pelo objetivo maior de elevar a competitividade industrial de produtos brasileiros no mercado mundial e, ao mesmo tempo, promover geração de emprego, ocupação e renda, o desenvolvimento, a desconcentração regional, o aumento da exportação e substituição das importações. A Presidente do Fórum, Aneli Dacás Franzmann, explica as metas dos Fóruns de Competitividade e diz que a conciliação dos interesses é um grande desafio. “Nós temos uma política que diz que temos a função de contribuir para que as cadeias produtivas trabalhem, se unam no sentido de produzir mais qualidade e competitividade para gerar melhor qualidade ao consumidor final. Mas, para que isso seja alcançado, é preciso que todos os entes representativos que fazem parte dessa cadeia trabalhem de uma maneira uniforme e integrada, interagindo. Nessa união, nós levantamos os gargalos daquela cadeia, procuramos encontrar as soluções”, conta. O pesquisador do ITAL e diretor financeiro da SBCTA, José Ricardo Gonçalves, concorda com Aneli. “Esse é o grande desafio do fórum, porque geralmente os interesses concorrem e aqui o nosso grande desafio é fazer com que eles sejam convergentes para que a gente possa trabalhar” defende. Ele ressalta, ainda, o papel do Instituto no Fórum. “O ITAL desenvolve uma articulação junto ao Fórum no sentido de oferecer subsídios, os seus conhecimentos tecnológicos para ajudar a indústria de carnes a ficar mais competitiva”, conta. Palestras e reunião #Pela manhã, foram realizadas três palestras com temas que vão diretamente ao encontro de aspectos importantes detectados em reuniões anteriores do grupo. Entre eles estavam: a utilização de embalagens para proteção e valorização de produtos cárneos industrializados, palestra realizada pelo Engenheiro de Materiais José Pedro Cruz; a apresentação do Z-TRIM, um substituto de gordura feito a partir de fibras naturais, feita por um de seus idealizadores, Triveni P. Shukla; e a perspectiva para a obtenção de créditos de carbono na produção de carnes, abordada em palestra pelo professor da PUC - São Paulo, Luís Fernando Penteado. Após a manhã de palestras, foi realizada uma reunião entre os membros e convidados especiais do GT-1 com a finalidade de dar encaminhamento aos trabalhos, de modo a produzir propostas para os itens definidos pelos envolvidos na indústria de carnes como prioritários. Entre os itens centrais de discussão estavam: o desenvolvimento no Brasil de embalagens mais viáveis, a substituição de aditivos químicos por ingredientes naturais, elaboração de produtos de maior vida útil, aproveitamento de subprodutos e créditos de carbono na produção de carnes. Foi dada uma grande ênfase na necessidade de transformar os gargalos do setor em projetos. # Um dos itens que ocupou grande parte das discussões foi a parte de embalagens para produtos cárneos. Verificou-se a necessidade de trabalhar com alternativas viáveis em termos de custos e que, ao mesmo tempo, sejam capazes de promover segurança ao produto e atratividade ao consumidor. Acerca disso, ficou definido que uma reunião com diversas indústrias dos setores de carnes e embalagens será realizada para uma detecção mais precisa das necessidades e o encaminhamento de propostas. Também a necessidade de detecção precisa em aspectos mais gerais foi debatida pelos presentes, tanto junto aos produtores quanto aos consumidores. Assim, trabalhar com indicadores estratégicos foi um ponto levantado como importante neste sentido. Entre os encaminhamentos, ficaram: a realização de uma apresentação do SEBRAE em Brasília, para mostrar projetos realizados na área que possam oferecer alternativas e identificar onde e em que trabalhar prioritariamente; verificar junto ao MAPA a adequação da legislação para que possa ser implantada a desossa quente de bovinos, processo pesquisado no ITAL desde a década de setenta e que reduz significativamente os custos de produção; a realização de palestra sobre utilização de gelatina na indústria cárnea; o levantamento de pesquisas em substituição de ingredientes para a indústria e em aproveitamento de subprodutos no setor. Aneli considerou o dia de atividades realizado no Instituto produtivo. “Esse momento que tivemos aqui dentro do ITAL foi um momento significativo, onde a gente pôde, já dentro daquela linha de atuação dos grupos, apontar e trabalhar alguns gargalos já dando encaminhamento. Temos projetos a curto, médio e longo prazo. Eles precisam ainda passar por um aprofundamento sim, mas nós temos parceiros em todas as áreas para que isso venha a acontecer”, concluiu. Material produzido pela Assessoria de Comunicação Foto: Antônio Carriero Mais informações: 19.3743.1757