saopaulo.sp.gov.br
Instituto de Tecnologia de Alimentos

Ital na Mídia
Secretaria de Agricultura e Abastecimento
Trabalhos de SP com café trazem impactos positivos para toda a cadeia de produção
Ao longo de sua história, Ital tem atuado para garantir a qualidade e inovar

Por Setor de Comunicação do Ital | Postado em 25/05/2020 22:19:08 | Atualizado em 25/05/2020 22:19:42

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo desenvolve há mais de um século trabalhos relacionados ao café, produto que ocupa o quinto lugar no valor da produção agropecuária estadual. Os trabalhos com a cultura passam por toda a cadeia de produção, desde os laboratórios e campos experimentais até o consumidor. No Dia Nacional do Café, comemorado em 24 de maio, parte das ações desenvolvidas foi listada, com destaque para o Instituto de Tecnologia dos Alimentos (Ital).

Ao longo de sua história, o Ital tem atuado para garantir a qualidade do café brasileiro. Exemplo é o estabelecimento denorma técnica para fixação de identidade e qualidade da bebida de café torrado em grão e moído para a classificação em gourmet, superior e tradicionalO trabalho foi feito em conjunto com a Associação Brasileira da Indústria do Café (Abic), o Sindicato da Indústria de Café do Estado de São Paulo (Sindicafé-SP), o Laboratório Carvalhaes e diversas empresas. 

Além de verificar a pureza do café, como laboratório credenciado da Abic, o Ital realiza outras análises microscópicas, como a detecção de matérias estranhas e, desde o fim da década de 1990, desenvolve estudos relacionados à prevenção da contaminação do café, do pé até a bebida, por ocratoxina A, composto tóxico produzido por algumas espécies de fungos. Tais estudos levaram ao estabelecimento de resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que controla os limites de micotoxinas em alimentos. 

Também são importantes os ensaios relacionados a embalagens de café e o desenvolvimento de novos processos e produtos, como os preparados para bebidas instantâneas com café, cappuccino, bolos, biscoitos, chocolates, recheios, barras de cereais, balas e o inusitado Cafessaí. 

A parceria entre o Ital e o IAC permitiu a evolução das regiões cafeeiras do Estado. Como exemplo, houve pesquisa para obtenção de indicadores ambientais da produção de café arábica, a partir da metodologia de Avaliação de Ciclo de Vida (ACV), via Programa Pesquisa Café. Outro trabalho conjunto foi a determinação da influência das mudanças climáticas nos sólidos solúveis em resíduos da produção, com utilização desses em novos produtos.

Confira a matéria completa